A Distribuição de Água Potável no Brasil

A Distribuição de Água Potável no Brasil

Matéria 04/04/2022

Anteriormente, explicamos sobre o Saneamento Básico e as suas 4 esferas: distribuição de água potável; coleta e tratamento de esgoto; drenagem urbana e coleta de resíduos sólidos. Nas próximas publicações, discutiremos com mais enfoque sobre cada um desses temas. Iniciaremos então, com a “Distribuição de água potável”, que é um tema que a T&D Sustentável contribui diretamente, já que trabalhamos com o combate ao desperdício de água potável; ou seja, através do aumento da eficiência hídrica que implementamos nos estabelecimentos dos nossos clientes e de seu consumo consciente, conseguimos assegurar a disponibilidade desse recurso vital para as gerações futuras.

A água potável é aquela com a qualidade suficiente para que possamos beber e preparar os alimentos. Sabemos que ela é um recurso vital e que aproximadamente 55% do peso corpóreo de uma pessoa adulta é composto por água. Mas mesmo o planeta Terra tendo a sua superfície quase que completamente coberta por água, a maior parte dela infelizmente é salgada, apenas 3% é de água doce. E dessa água doce, praticamente 99%, ou está congelada, ou em reservatórios subterrâneos. Ou seja, de toda a água do planeta, uma quantidade insignificante é que realmente encontra-se disponível para o nosso consumo, isso sem contar com a quantidade de rios e lagos que já estão poluídos e que também não podem mais serem utilizados para o consumo humano. E se não começarmos a preservar os mananciais e as nascentes, a tendência é que esse recurso se torne cada vez mais escasso.

E devido à relevância e à importância desse tema, é que a ONU na cúpula Rio+20, onde foi desenvolvido os 17 ODS (Objetivos do Desenvolvimento Sustentável), elencou entre eles, o ODS 6, que tem como objetivo: “Garantir disponibilidade e gestão sustentável de água e saneamento para todos”. Esses ODS são objetivos globais com a meta de serem alcançados até 2030 e a ONU conta com o apoio não só dos governos, mas de toda a sociedade e inclusive das empresas privadas para conseguirmos alcançá-los. Além do mais, esse é um tema de interesse de toda a humanidade e que possui uma alta urgência.

Se analisarmos o desempenho desse ODS 6 no Brasil, veremos que em relação à gestão sustentável da água ainda precisamos melhorar muito, pois de acordo com a ANA (Agência Nacional de Águas), cerca de aproximadamente apenas 60% de toda a água captada nos mananciais, de fato chegam no seus pontos de consumo e a maior parte desse desperdício é causado por vazamentos no seu transporte. E em relação à disponibilidade de água potável, que hoje é oferecida para aproximadamente 84% da população e pode até parecer que já estamos adiantados, mas na verdade para alcançarmos a universalização desse recurso, ainda precisamos atender 35 milhões de pessoas, sendo a maioria dessa população formada por crianças. E vale ressaltar que segundo o Instituto Trata Brasil, no mundo todo, a diarreia mata 2.195 crianças por dia e faz mais vítimas do que a Aids, a malária e o sarampo juntos. É a segunda causa de morte entre meninos e meninas entre 1 mês e 5 anos no mundo. E lembrando que a principal causa da diarreia é justamente a ingestão da água contaminada.

Portanto, para assegurarmos o abastecimento de água potável para a população brasileira, devemos então nos atentar para esses três pontos: a qualidade da água dos nossos mananciais; a forma que essa água é transportada até as casas das pessoas e a quantidade de recursos hídricos que temos disponível no nosso país. Porque apesar de termos a falsa sensação de possuirmos uma água infinita, devido ao fato do Brasil ser o país que possui a maior quantidade de água doce no mundo, por outro lado nós acabamos de passar pela maior crise hídrica da história do nosso país e já vimos com frequência diversas cidades precisarem adotar medidas de racionamento de água. Então, precisamos ressaltar a importância do seu uso consciente, e caso você queira ter uma maior eficiência hídrica no seu condomínio ou no seu trabalho, basta entrar em contato e conhecer melhor os serviços da T&D Sustentável.


Autor: Julia Lelis