O Uso da Água nas Mais Diversas Atividades Produtivas

O Uso da Água nas Mais Diversas Atividades Produtivas

Matéria 02/07/2021

Entendendo o Problema


É possível perceber, atualmente, o grande aumento da utilização da água em todo o mundo. Esse aumento se deve a alguns fatores como o crescimento demográfico dos países ou também o crescimento das atividades econômicas, especialmente nos países em desenvolvimento, que antes apresentavam um consumo inferior. Por isso, em várias regiões do mundo podemos observar hoje o incentivo às medidas de controle e diminuição do uso desse recurso, tornando-o sustentável.

Para elaborar as ações de controle e diminuição dos gastos dos recursos hídricos, é importante primeiramente identificar quais são as atividades e os setores produtivos responsáveis pelo maior gasto de água em seus processos atualmente, em quaisquer que sejam as etapas de produção, os níveis de atuação desses setores e seus produtos finais, para que sejam mais bem definidas e direcionadas as medidas de contenção da exploração desse recurso, a nível nacional e mundial.

É do conhecimento de muitos que existem diversas campanhas de conscientização e sensibilização da sociedade para a adoção de medidas de controle de utilização da água, em maioria voltadas para a diminuição dos gastos nos ambientes domésticos e seus elevados índices de uso. Entretanto, embora seja de grande relevância a economia de água de uso doméstico como estratégia de conservação, é importante ressaltar que essa não é a atividade que apresenta o maior índice de consumo no mundo.

Ao analisarmos as atividades produtivas que utilizam água como matéria prima em seus processos de produção, é possível concluir que, no Brasil e no mundo todo, as atividades socioeconômicas responsáveis pela maior quantidade utilizada desse recurso natural são, em primeiro lugar, a agropecuária, com aproximadamente 70%, seguida das indústrias e comércio com média de 22%. As atividades domésticas ficariam em último lugar, com uma porcentagem inferior de cerca de 8% da água utilizada em todo o mundo.

Segundo dados da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), a atividade agropecuária é a principal responsável pelos gastos da água em todo território mundial, sendo que a maior parte dessa água consumida no mundo é direcionada para a irrigação das lavouras. No caso do Brasil, um dos países que mais exportam no mundo e que apresenta grande relevância e dependência desse setor da economia para o seu PIB, os números chegam perto dos 72%.

Esses dados comprovam que as medidas de controle e diminuição de gastos não devem ser incentivadas apenas nos ambientes domésticos, mas principalmente nas atividades agrícolas, de produção de bens e no comércio, tendo em vista a grande ligação que os setores primários e secundários da economia têm com a utilização da água. É imprescindível que esses setores adotem ações de conservação desses recursos hídricos dos quais dependem para a manutenção e expansão das suas atividades produtivas.

Além da grande quantidade de água utilizada na irrigação de lavouras agrícolas voltadas para os mercados internos e externos (como a soja e a carne) dos países produtores e na manutenção da agropecuária, a atividade industrial também demanda de altos níveis de utilização de recursos em suas etapas produtivas, tanto diretamente na fabricação de itens (peças de roupas e confecção e montagem de automóveis), quanto no resfriamento e lavagem dos equipamentos, por exemplo.

No caso da agropecuária, que não somente é a maior responsável pelo consumo de água potável no mundo todo, grande parte dessa água é desperdiçada ao fim dos processos produtivos, sem medidas de redução (como o gotejamento ao invés da irrigação) ou aproveitamento em outras atividades. Ainda de acordo com dados da FAO, uma pequena redução de apenas 10% desse consumo total seria suficiente para abastecer o dobro da população mundial atual, em termos de média estatística.

Os dados atentam para o fato de que milhões de litros de água poderiam ser economizados com mudanças gradativas nos setores produtivos, não só para a continuidade das atividades produtivas realizadas atualmente, mas também para as gerações futuras e seu bem estar econômico e social, tendo em vista os alertas feitos por especialistas sobre a escassez pela qual esse recurso deve enfrentar. Além das medidas de redução no consumo individual e produtivo, seria necessário o incentivo ao reuso da água.

Apesar de ser de extrema importância, a economia de água doméstica não será suficiente para conservar as reservas de água presentes no planeta. Outras medidas, como a conservação dos solos, também é fundamental nesse processo, especialmente porque em decorrência do cultivo agropecuário, grandes quantidades de solo sofrem erosão, assoreamento ou desmatamento, em benefício do setor agrícola. Em outros casos, existe também a contaminação deste pelo uso de agrotóxicos.

Nas indústrias e comércios também é importante o incentivo à adoção de medidas de conservação, como o controle do desperdício e a reutilização da água, além do tratamento de efluentes para evitar que rejeitos e poluentes decorrentes dos processos de produção cheguem aos corpos hídricos. Além das atitudes tomadas pela sociedade em geral, as empresas de pequeno a grande porte também podem e devem contribuir com a economia de água, seja em seu processo produtivo ou no uso e incentivo de medidas de diminuição de gastos.

T&D Sustentável, desenvolvimento sustentável para o futuro do planeta.


Autor: Bruna Torquato, Mário Ferreira